Ergo Proxy (5) new

Análise de trilhas sonoras – Ergo Proxy

RESENHA MORTÍFERA!

Ergo Proxy

Ergo Proxy (5) new

-Autor: Yumi Unita.
-Diretor: Shukou Murase.
-Editora Original: Sem.
-Editora Brasileira: Sem.
-Estúdio: Manglobe.
-Exibição Original: 25 de Fevereiro de 2006 – 12 de Agosto de 2006.
-Exibição Brasileira: Não exibido no Brasil.
-Emissora Original: WOWOW.
-Emissora Brasileira: Não tem.
-Temporadas: 1 Temporada.
-Arcos Abordados: Temporada completa.
-Episódios: 23.
-Duração: 24 Minutos.
-Gênero: Cyberpunk, Steampunk, Suspense, Ficção Científica, Drama, Ação.
-Público Alvo: Seinen.

 photo Ergo_Proxy_zps3c4ebec2.png

Ergo proxy é um anime cyberpunk ousado a sua própria maneira, em uma cidade onde humanos e robôs convivem surge um novo vírus que dá consciência aos autoreivs, quando isso acontece surgem vários assassinatos cometidos pelos mesmos. Para um anime desse gênero com uma ambientação pesada, a OST de Ergo Proxy é no mínimo lenta, raras vezes, quase nunca você jovem leitor ouvirá uma música feliz.

 photo vince_ergo_zps0ec6a67d.png

A abertura de Ergo Proxy é algo único, com um ar de urbano e ao mesmo tempo com uma animação bem escura, até algumas cenas de cidades são colocadas (sim, do nosso mundo real mesmo), a sincronização de cena e ritmo é boa, mas o que mais chama a atenção é o modo como a música gradualmente dá intensidade a abertura, os efeitos usados como a aparência de filme velho e os textos espalhados também não ficam muito atrás.

 photo Snapshot-218_zpsc2f2ea4b.jpg
Entenderam o que eu quis dizer com cenas de cidade?

O encerramento continua seguindo a ambientação escura da abertura, mas agora com uma música mais lenta, se eu tivesse que apontar um defeito seria a falta dos personagens nas cenas, no geral os créditos descem e há a transição de imagens do que parece ser um monte de nuvens em um céu escuro, a verdade é que o que dá vida ao encerramento é praticamente a música e nada mais.

 photo ergoproxyed_zps920516c3.jpg

Muitas coisas foram acrescentadas em Ergo Proxy, até mesmo teorias filosóficas (que discutam isso com o LMR), mas aqui dentro das trilhas sonoras, saibam que com pelo menos isso eu garanto que o anime não será uma má experiência, as músicas combinam com o gênero e acertam o ritmo que desejam.

 photo Snapshot-219_zps089ceb79.jpg

Obrigado por acessar o RM e até a próxima resenha!

-Opening(Abertura): Kiri (Versão Anime) – Manoral:

-Ending (Encerramento): Paranoid Android – Radiohead:

Carlos Akihito Oyama / CROW
9 de outubro de 2014, SP, São Paulo

Equipe da publicação:
Autoria: Carlos Akihito Oyama.
Direção: Lucas M. Rodrigues.
Edição: Jeferson Capizani.
Revisão:Lucas Moraes Rodrigues.
Tradução: Julio I. Arrivabene.
Roteiro: Lucas M. Rodrigues
Diagramação: Jeferson Capizani.
Redação: Lucas M. Rodrigues e Jeferson Capizani.
Produção: Carlos Akihito Oyama.
Publicidade: Carlos Akihito Oyama.
Colaboração: Julio I. Arrivabene.

Leave a Reply